C   redit
Meu Deus, quantas vezes esperei por um abraço que nunca veio.
Clarissa Corrêa.   

Chorei. E cada átomo do meu corpo também. Chorei porque há mais pedras do que flores no caminho, mais dores do que amores, mais partidas do que chegadas. Chorei porque o futuro nada nos revela e esse silêncio todo é assustador, chorei porque a única certeza que tenho é a morte e nada mais. Chorei porque a vida nunca foi fácil e jamais será e ela fez questão de me ensinar isso cedo. Chorei porque a solidão sufoca e a saudade corrói. Chorei porque falta colo, falta ombro, falta carinho e compreensão. Chorei porque sou um grão de areia mas dentro de mim cabe mais do que deveria caber. Foi um choro calmo, silencioso, acompanhado de vários pedidos de socorros que minha alma gritava.

A solidão se materializou, me abraçou e comigo chorou.

Eu estive sozinha o tempo todo.
Amy Lee.
No final, sempre dou risada. E não perco essa minha estranha mania de ter fé na vida.
Clarissa Corrêa 

Anonymous: Você está triste ?

Não sei… talvez?

Você pode me dizer por que as pessoas se esforçam tanto para esconder seu eu verdadeiro? Ou por que sempre me comporto de modo muito diferente quando estou perto dos outros? Por que as pessoas confiam tão pouco nas outras? Sei que deve haver um motivo, mas algumas vezes acho horrível não poder confiar em ninguém, nem mesmo nas pessoas mais próximas.
O Diário de Anne Frank.  
Não foi o fim do mundo, mas algo dentro de mim morreu.
Animicida. 
O tempo fica
cada vez
mais lento
e eu
lendo
lendo
lendo
vou acabar
virando lenda.
Paulo Leminski.   
Já passei da fase de ficar reclamando da vida, agora tanto faz.
— 21.08.14
Atualmente, não basta ser bom.
Augusto Cury.   
O dom de rir e fazer graça de algo que te machucou muito.
Aguente firme, porque eu já estive onde você está agora, eu já senti a dor de lentamente perder quem você é. E eu também morri várias vezes, mas eu continuo viva.
Christina Perri.